segunda-feira, 7 de março de 2011

Lugar de gato é dentro de casa


Hoje em dia, principalmente nas grandes capitais, muitos bichanos vivem em apartamentos e passam horas na janela, observando o movimento da rua. Os que vivem em casas com quintal têm a oportunidade de dar umas voltinhas pelo bairro, e já são até conhecidos pela vizinhança. Apesar da vida livre, invejada pelos que ficam presos entre quatro paredes, dois entre três veterinários aconselham que o felino permaneça dentro de casa, segundo um estudo encomendado pelo Humane Society of the United States. Para tanto, a pesquisa consultou 600 médicos do segmento animal.

E os profissionais favoráveis ao “enclausuramento” do bichano têm dois fortes argumentos. Dentro de casa o gatinho estará a salvo de veículos e das doenças transmissíveis. Para estes veterinários, o animal vive com mais saúde e até por mais tempo quando são impedidos de colocarem as patinhas para fora de casa.

De acordo com o site USA Today, há ainda outros motivos que incentivam esta teoria: os animais correm menos risco de pegar parasitas, insetos, e até de se envolver em brigas com outros gatos ou cachorros. Outra vantagem é que a conta com o veterinário também tende a ser menor.

Mas muitos donos costumam ficar com peso na consciência por deixar seu pet querido longe do movimento e da agitação das ruas. Eles se perguntam: “será que meu gato é feliz vivendo 24 horas dentro de casa?”. Sim, eles podem se divertir tanto quanto, ou até mais que nas ruas, caso seja estimulado com brincadeiras e distrações. Confira algumas dicas preparadas pela ‘treinadora’ de gatos Marilyn Krieger.

Escaladas

Monte um local divertido para seu gato escalar. Atualmente é fácil encontrar escaladores para gatos nos grandes pet shops. Ou você pode testar suas habilidades com madeiras e pregos. Caso opte por comprar, verifique se a estrutura é estável e sólida para aguentar o seu bichano.

Móveis

Se possível, posicione os móveis e estantes de maneira que seu gato possa subir, com segurança e alcançar as janelas. Eles adoram passar horas observando o movimento, e adoram mais ainda ter um móvel seguro por perto para subir e descer.

Esconde-esconde

Esconda o brinquedinho predileto do seu gato no armário em que costuma guardar as coisinhas dele, ou no local em que ele brinca ou até na caminha dele. É uma brincadeira divertida e um bom exercício para ele.

Brincadeiras

Eles adoram caçar. Uma boa dica é brincar de... caçar. Use varinhas com algum brinquedinho pendurado, ou produtos específicos e seguros para o bichano. Caneta de laser não é recomendável, pois os bichinhos sentem-se frustrados por nunca pegar a luzinha.

Arranhar

Os arranhadores também são muito bem aceitos pelos gatos. Arranhar é um ótimo exercício para o bicho, além de necessário, já que assim ele pode fazer sua “manicure”, além de gastar energia.

Comida

Na hora da refeição faça joguinhos com seu pet. Algumas lojas disponibilizam caixinhas, ou bolinhas que são facilmente abertas. Coloque petiscos dentro e faça o gato brincar com a bola que vai liberando a ração.

Lazer

Reserve um tempinho para o que seu gato mais gosta de fazer. Se for brincar, brinque com ele. Se for receber um cafuné, faça. O importante é que a atividade envolva você e o seu felino. Fique atento ao que ele mais gosta e proporcione minutos de prazer ao seu bichano.

Medicamento proibidos para gatos

Lista dos medicamentos proibidos para gatos

Paracetamol: A ingestão de 50mg de paracetamol pode ser fatal aos gatos. Causa um tipo de anemia grave nos gatos. Os primeiros sinais da intoxicação são anorexia, vômitos e salivação intensa.

Benzocaína: Utilizado como anestésico tópico. Causa estímulo do sistema nervoso central (SNC) podendo provocar tremores e convulsões.

Carbamato: Presente em produtos contra pulgas e carrapatos à venda em Pet Shops. Causa lesão no SNC.

Ácido Acetil Salicílico: Devido à deficiência de enzimas importantes na metabolização de medicamentos, a eliminação do AAS nos gatos é muito lenta, e o acúmulo das doses ingeridas é que causa o problema. Sintomas como anorexia, depressão, vômito, febre, angústia respiratória e hemorragia gastrintestinal, podem aparecer de acordo com o número de doses administradas.

Às vezes a ingestão de medicamentos ocorre acidentalmente por gatos curiosos que costumam entrar nos armários. Por isso que em casa, devemos sempre, manter remédios não só longe das crianças, mas também fora do alcance de animais domésticos.

Caso o seu bichano ingira acidentalmente algum desses produtos, encaminhe-o rapidamente a um veterinário. Todo cuidado é pouco quando se trata de remédio e de saúde.

Hello Kitty


A Hello Kitty foi criada originalmente pela designer da Sanrio, Yuko Shimizu, em 1974.[1][2][3] Shimizu deixou a companhia aproximadamente um ano depois. A segunda designer, Setsuko Yonekubo, assumiu por cinco anos até 1980, quando essa tarefa foi dada a Yuko Yamaguchi, que ainda está à frente do trabalho. A personagem apareceu originalmente em pequenos artigos para jovens meninas, como bolsinhas para moedas.

A Hello Kitty recebeu um nome inglês porque as culturas norte-americana e britânica eram populares entre as garotas japonesas na época da sua criação.[carece de fontes?] O nome Kitty veio de um dos gatos que Alice criava no livro Through the Looking Glass de Lewis Carroll. Quando o namorado da Kitty "Dear Daniel" foi criado em 1999, os designers tomaram seu nome do filme Melody, de 1971, que estrelava Mark Lester como um personagem chamado Daniel, e trazia canções dos Bee Gees.

O universo ficcional da Hello Kitty inclui uma gama de amigos e familiares, como sua irmã gêmea Mimmy (usa o lacinho na outra orelha). Desde 2004, ela possui até sua própria gata de estimação chamada Charmmy Kitty, e um hamster chamado Sugar. Charmmy assemelha-se à Hello Kitty, mas tem atributos que a tornam mais parecida com um gato. Charmmy Kitty foi dada à Hello Kitty por seu pai, George White, e Sugar lhe foi dado por seu namorado, Dear Daniel.

Gatinha Marie


A Gatinha mais linda, mais fofa e mais charmosa de todos os tempos. Qualquer gato daria tudo para namorá-la.

Ah, nem tem graça falar do Garfield. Todo mundo já o conhece! :)
Estreando em 1978, publicado em tirinhas por jornais no mundo todo, Garfield é criação do artista Jim Davis. É um gato guloso, gordo, preguiçoso e muito, mas muito mesmo, sarcástico. Seu dono Jon é o principal alvo das suas tiradas...

Odeia segunda-feiras! (ele nasceu numa segunda-feira mas odeia esse dia)


O Gato Félix nasceu na época do cinema mudo. Foi muito popular na época (década de 20), entrando em declínio junto com ele.

Todavia, seu carisma, sua fama o fizeram ser reinventado ao longo do tempo. Originalmente, por exemplo, ele não tinha sua bolsa mágica. Aquela bolsa que ele utiliza para criar qualquer coisa que lhe venha a cabeça (mesa, martelo, rádio, etc). Muitas lancheiras foram criadas utilizando esse mote. :)

Os desenhos animados do Gato Félix eram, na melhor das palavras, surreal. Sua risada, sua maleta e o ambiente em que ele atuava criavam um clima muito... interessante. Assista a um dos seus mais famosos episódios (A Garrafa Mágica) e comprove.

Gato de Botas

O Gato de Botas foi criado num conto de fadas do escritor Charles Perrault (francês).

Muito lindooooo!